segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Nova aquisição: Suzuki GSX- R 1000 MotoGP

Galera, vocês não tem ideia da minha alegria !!!!!! Comprei minha primeira moto esportiva, ou "speed", como alguns chamam. É uma Suzuki GSX-R 1000, ou SRAD 1000, como é conhecida no Brasil.

Fiz um esforço financeiro considerável, considerando que não vendi a minha Yamaha Super Tenere 1200. Mas o que se consegue hoje sem esforço ?

O ronco dos motores de 4 cilindros é contagiante. E a vontade de adquirir uma esportiva de 4 cilindros veio depois de pilotar a SRAD 1000 preta do colega Edrian quando fomos assistir à corrida de MotoGP na Argentina em 2016. Rodei uns 120 km com ela na estrada e foi o suficiente para eu ficar viciado nesta máquina. E como já sou "Suzukeiro" de carteirinha, desde que adquiri a Suzuki VStrom 650, optei por uma Suzuki 1000, ao invés de uma Honda CBR 1000, ou a Kawasaki ZX-10R ou ainda a Yamaha R1.

Montar e acelerar uma máquina dessas, de 1000 cilindradas, com apenas 200 kg e 185 cavalos de força, que chega a 300 km/h, é alguma coisa indescritível. É preciso controlar as emoções para não fazer bobagem, pois a vontade de acelerar é cada vez maior. Para vocês terem uma ideia da relação peso/potência, a minha Super Tenere, de 1200 cilindradas pesa 270 kg, tem só 114 cavalos de força e alcança um máximo de 235 km/h. A SRAD tem quase 1 cavalo por kilo de peso, enquanto a Super Tenere tem só 0,42 cavalos por kilo.

Sempre que assistia às corridas de moto velocidade da MotoGP e via aquele azul da escuderia Suzuki ficava "babando" na moto, imaginando se um dia poderia sentir a emoção de pilotar uma esportiva parecida com aquela. Em sendo assim, eu não queria a cor preta, como a do Edrian, ou outra cor qualquer, mas aquele azul igual ao modelo que a Suzuki usa nas corridas de MotoGP.

E foi assim que, olhando os classificados de moto, encontrei o anúncio desta máquina, que é uma Suzuki GSX-R 1000 com ABS modelo MotoGP, ano 2015/2016. Está com pouco mais de 6 mil kms e tem muitos equipamentos e acessórios instalados. Para checar a procedência da moto, perguntei ao vendedor Cristiano sobre o histórico dela. Foi aí que ele me contou que o Rafa, filho do Pico, dono da concessionária Yamaha de Foz, foi buscar essa moto em Cascavel-PR, em janeiro de 2018. E ainda me mostrou fotos e vídeos que o Rafa fez da moto na época quando estava à venda em Cascavel. Uma das fotos inclusive mostro o odômetro da moto com apenas 2923 km (janeiro de 2018). Isso me trouxe mais confiança em adquirir esta moto.

E essa moto foi anunciada aqui mesmo na cidade, o que me poupou o trabalho de viajar para trazê-la. Mas vamos deixar de papo furado e mostrar algumas fotos desta belezura de máquina.

O escapamento é da marca Akrapovic, do mesmo modelo do usado na BMW S1000 RR.




Aquela "barriga vermelha" da moto é o que a diferencia dos modelos com e sem o freio ABS. Os modelos sem o sistema ABS tem aquela parte inferior da mesma cor do restante da moto.



É isso então galera, alegria total com a máquina, mas com juízo e responsabilidade e sempre lembrando daquele famoso slogan "Potência não é nada sem controle".




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!